Os dados econômicos , sociais e ambientais das maiores Think tanks no Brasil: CEBRI e BRICS Policy Center indicam que os desafios enfrentados pela Índia no que tange ao problema socioambiental são semelhantes aos problemas brasileiros.

Há pouco material de Think tanks brasileiras

As Think tanks brasileiras não possuem muitos materiais em português, que indiquem ou mostrm dados e soluções para o problema que enfrentamos atualmente. Essa lacuna poderia ser preenchida junto a outras Think tanks de diversos países, por exemplo, porém, o que se vê é uma falta de atitude para se dar o primeiro passo em direção a resolução desse problema tão incômodo.

Quando fala-se em gestão socioambiental, fala-se de um tema que já é bastante explorado por todo o mundo, não somente por Think tanks, mas por diversos pesquisadores e grupos independentes.

É bem verdade que existe uma grande diferença em realizar a gestão socioambiental em um país mais desenvolvido que o nosso, ou na Índia, por exemplo. Cada país tem sua geografia, densidade populacional e todos os outros fatores que influenciam bastante na tomada de decisões para auxiliar nessa gestão.

Porém, vemos aqui que existe uma certa falta de disposição, para que certas Think tanks, como por exemplo, as brasileiras e indianas, se unam e resolvam compartilhar conhecimento e solucionar problemas para essas questões que vêm preocupando, e alarmando mais, a cada dia que passa, a nossa população.

Existe uma certa semelhança na geografia, muito crível, diga-se de passagem, entre esses países, o que possibilita mais ainda uma possibilidade de acordo para que ambas as partes sejam beneficiadas. Pensar no problema como todo, somente de maneira isolada, é ainda um retrocesso que algumas Think tanks brasileiras produzem ao invés de tentar criar soluções para contribuir com nossa sociedade. É algo para se pensar e melhorar, de fato!